Atelier do Boneco
Atelier VATe 2005/2006 - Vamos brincar ao Teatro! – I

Descrição

Dividimos os participantes (cerca de 60) em dois grupos. Cada grupo foi servido por dois monitores do VATe e ambos seguiram a mesma estrutura:

1 - Apresentação do atelier
Tempo de duração total; descrição das várias fases e tempo disponível para cada uma; lançamento do desafio de prepararem a sua própria peça, após a nossa partida.

2 - Construção dos bonecos
A equipa do VATe distribui kits pré-montados, com os materiais necessários à construção de um tipo determinado de fantoche (o kit é constituído por: uma vareta fina para manipulação da mão, uma vareta grossa para manipulação da cabeça, dois retalhos de pano-cru – um com 30cm x 30cm, para a cabeça, e outro com 30cm x 60cm, para o corpo – e uma abraçadeira para fixação da cabeça), entregando um a cada participante.

1ª parte: A construção da base do fantoche é feita, seguindo as indicações dos monitores.

2ª parte: o fantoche é caracterizado livremente por cada um, utilizando os materiais que foram solicitados previamente pela equipa VATe (lãs, cola, tesouras, cartões, caricas, tecidos, desperdícios em geral, fomentando também a reutilização de desperdícios, dando-lhes uma feição criativa e divertida).

3 - Caracterização psicológica do fantoche e técnicas específicas de manipulação
Estando prontos os bonecos, são desenvolvidos exercícios onde se aprende a manipular o boneco (onde se pega, como se mexe, como fala, como olha – explicação e exercícios práticos) e onde se medita na sua caracterização profunda (quem é: como se chama, que idade tem, onde mora, o que gosta/ não gosta de fazer, o que gosta/ não gosta de comer, o que mudaria na sua vida, etc.).

4 - Preparação do corpo do actor
Conversa sobre o trabalho de actor. Diferenças entre trabalho de representação e trabalho de manipulação de formas animadas. Exercícios de aquecimento de corpo (com especial incidência nos braços – ombros, cotovelos, pulsos e dedos) e de voz.

5 - Teatro
Uma última conversa sobre "ser actor" vs. "ser público" (direitos e deveres de ambos). Montagem de cena preta para bonecos. Improvisações (orientadas pela equipa) atrás do pano.

Nota: durante toda esta fase trabalha-se o "ser público", partindo de uma brincadeira de imaginação («Agora estamos numa sala de teatro»), enquanto se acompanham os "actores" em cena, ensinando regras cénicas, de forma ligeira: entradas e saídas, tom e volume de voz, concentração, olhar fixo no boneco, altura dos braços, etc..

6 - Conversa final
Reflexão conjunta sobre as actividades desenvolvidas, colocação de dúvidas e comentários. Reforço do desafio. Despedida.

Ficha Técnica

Designação: Vamos brincar ao Teatro! – atelier de experimentação artística na área do Teatro
Concepção: Patrícia Amaral, Jorge Soares e Carla Dias
Duração: 180 minutos
Nº de participantes: 60 (máximo)
Monitores: Jorge Soares, Luísa Silva e Carla Dias
Tema: É fácil brincar ao Teatro!
Técnica: Boneco de Vareta
Condições de realização: 2 salas de aula grandes (ou espaço semelhante); com mesas de trabalho e cadeiras (em número suficiente para 30 crianças em cada sala).